domingo, 21 de maio de 2017

LIÇÃO 9 - HULDA, A MULHER QUE ESTAVA NO LUGAR CERTO





















Gráfico sobre a definição do termo 'Hulda' do hebraico



PARA EFETUAR O DONWLOAD EM POWER POINT CLIQUE ABAIXO 




domingo, 7 de maio de 2017

LIÇÃO 7 - RUTE, UMA MULHER DIGNA DE CONFIANÇA





LIÇÃO 7 – RUTE, UMA MULHER DIGNA DE CONFIANÇA
Autoria: Professor Jean Carlos Th.D

"Nenhum amonita ou moabita entrará na congregação do SENHOR; nem ainda a sua décima geração entrará na congregação do SENHOR, eternamente". (Dt 23.3 ARC)

Como harmonizar esta questão com o caso de Rute que era uma Moabita?

Eu observei, mesmo na tradição judaica, que não existe consenso, assim, não seria este simples ‘Blog’ que resolveria tal conflito.

I – Primeira posição para o ‘problema’
É que o autor da lição segue. O casamento aconteceu, por causa que não observaram a lei de Deus. “Se houvesse sido observados os preceitos da lei, ela jamais poderia fazer parte da linhagem do povo de Israel”.

COMENTÁRIO
Esta interpretação é literal do texto de (Dt 23.3).

II – Segunda posição para o ‘problema’
Seguida por alguns comentaristas, seria que, a proibição seria apenas ao casamento. Alguns citam o Midrash (comentários e tradições do judaísmo) como que, a proibição se dava para as mulheres de casarem com os homens moabitas, e não os homens Israelitas se casarem com as mulheres moabitas.

COMENTÁRIO
Esta interpretação é utilizada por uma parte de comentaristas.
         Aqui é uma aplicação do termo hebraico ‘Manzêr’, associando também aos ‘Amonitas’ e ‘Moabitas’. O judaísmo tem traduzindo este termo como: “Uma pessoa que nasceu de uma união adúltera ou incestuosa, mas não alguém nascido de uma união simplesmente ilegítima” (KhumaSha pag. 167 – Volume 5 – Devarim).
         Assim sendo, a proibição da 14ª geração, se daria apenas para estes casos, isto é, mulheres nascidas de origem de incesto e adultério.

III – Terceira posição para o ‘problema’
Seguida por alguns comentaristas, seria que, a proibição seria apenas ao culto coletivo, e neste caso, ele poderia perfeitamente desfrutar da comunhão com Deus.
         “...nem ainda a sua décima geração entrará na congregação do SENHOR...”. veja que, o culto seria uma referência à frase: ‘Congregação do Senhor’.
         Assim sendo, percebi que alguns comentarista concluíram que mesmo com tal ‘proibição’, o tratamento dos Israelitas na região de Belém na época de Rute, jamais poderia excluir um moabita que viesse a dizer: “o teu povo é o meu povo, teu Deus é o Meu Deus” (Rt 1.6).

CONCLUSÃO
Alguns assuntos na Bíblia, quando se precisa explicar muito, dar justificativas, procurar no hebraico, buscar na tradição judaica e/ou cristã, contudo, mesmo assim, não ‘fechando’ suas posições, devemos concluir que o tal assunto é ‘complexo’.
         Não devemos negar jamais, que o caso ‘Rute’ teve a mão de Deus. Boaz, por outro lado, se casou com Rute algum tempo depois de ela ter se tornado adoradora de YHWH (SENHOR).
De fato, os judeus mais tarde a consideraram uma “prosélita perfeita”. O casamento de Rute e Boaz foi uma bênção para os dois. — Rute 1:4, 5, 15-17; 4:13-17.
Para o autor da lição, em que ele defende que não fora observado a lei, particularmente achei um pouco ‘forçado’, agora, como as outras posições não fecharam, aí já viu né.
Quanto ao assunto (defendido na Bíblia de estudo Pentecostal), em que, a proibição se dava ou se deu, somente a participação dos Moabistas no culto, e não, no casamento, achei também plausível também.
Alguns hebraístas sustentam que, as formas masculinas dos substantivos em foco, segundo eles, a proibição se daria apenas com os homens ‘pagãos’ Moabitas e Amonitas. Neste caso, dos substantivos eles estão corretos.
De qualquer maneira, fica aí uma dúvida final. Contudo, reconheço o milagre de Deus no livro de Rute.
  
Referências

RYRIE, Charles Caldwell. A Bíblia Anotada. São Paulo: Mundo Cristão, 1994.

Almeida Revista e Atualizada, ed. 1993, em BibleWorks for Windows, version 7.

Almeida Revista e Corrigida, ed. 1969, em BibleWorks for Windows, version 7.

Bíblia Sagrada [tradução dos originais hebraico, aramaico e grego, versão francesa dos Monges Beneditinos de Maredsous (Bélgica)]. São Paulo: Editora Ave Maria, 1966.

Almeida Corrigida Fiel, ed. 1994, em BibleWorks for Windows, version 7.

Bíblia Sagrada: Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH). Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2000.

Bíblia Sagrada: Nova Versão Internacional [traduzida pela comissão da Sociedade Bíblica Internacional]. São Paulo: Editora Vida, 2000.

Novo Testamento Interlinear – Grego-Português. Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2004.

Westcott and Hort NT (1881), em BibleWorks for Windows, version 7.


ATENÇÃO: BAIXE O POWER POINT 





Subsídio para adultos - Lição 6 - A Mordomia da Adoração

Lições Bíblicas CPAD Jovens e Adultos de  1º Trimestre de 2007 Título:  A Igreja e a sua missão Comentarista:  Elienai Cabral ...

Matérias mais visitadas